15 de julho de 2011

Trabalhadores maranhenses em situações degradantes no Estado de São Paulo


Na última semana, quatorze jovens de Santa Helena e Turilândia, que teria sido contratados  para prestar mão de obra na construção civil na cidade de Sorocaba (SP),denunciaram a precariedade que viviam.  
Os jovens viajaram para Sorocaba, com a promessa de contrato, carteira de trabalho assinado e direitos trabalhistas , no entanto ao chegar no prometido emprego, foram alojados em péssimas condições , sob muita sujeira, falta de chuveiro, cobertores e agassalhos.
Após a denúncia, auditores da Subdelegacia do Trabalho de Sorocaba constaram a deficiência nas acomodações e nas contratações dos trabalhadores, e a empresa que os contratou garantiu o pagamento de todos seus direitos e o encaminhamento dos jovens ao Maranhão.

O grande atrativo que leva grande parte dos maranhenses á São Paulo
Devido ao valor do salário apresentado (maior que o normal do estado do Maranhão), semanalmente ônibus lotados fazem essas viagens de maranhão até São Paulo, levando grande parte dos jovens para trabalhos braçais e prestação de serviços na construção civil (pedreiro, encanador, servente, etc), que acreditam poder acumular dinheiro e voltar para o estado trazendo uma vida melhor, mas nem sempre o prometido é cumprido, decepcionando e lesando os contratados, que muitas vezes continuam trabalhando mesmo sem receber por não ter condições voltar para a casa.
Nem todas empreiteiras cometem o mesmo erro, e conseguem aproveitar a disposição desses jovens para uma boa relação de trabalho.
Todo trabalhador tem direitos e deveres, seja em qualquer estado, antes de aceitar essas contratações, deve-se procurar conhecer a empresa e sua idoneidade, seja através da internet ou mesmo nas delegacias do trabalho das cidades onde irão trabalhar.
Mais Recente
Próxima Notícia
Leia Também

0 comentários:

Deixe aqui sua opinião.
Atenção: Comentários com palavras ofensivas ou críticas fora de propósito, ligados ou não ao tema,serão deletados. Ataques pessoais ou a marcas, difamações, racismo ou obscenidades não são permitidos.