27 de outubro de 2011

O TCE reprovou, e a Câmara vai aprovar?


A Câmara Municipal de Turilândia  deve julgar no dia 08 e novembro (terça-feira) as contas do atual prefeito Domingos Sávio Fonseca (Curió),  referente ao ano de 2006. As contas de Curió foram analisadas pelo TCE – Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, em parecer técnico e enviado a Câmara de Turilândia, o Tribunal declara que as contas foram reprovadas. Mas para que as contas sejam realmente declaradas irregulares a Câmara Municipal de Turilândia  precisa realizar a votação em sessão plenária para decidir a aprovação se devem ou não ser  rejeitadas .
Há rumores entre a população que, a aprovação já estaria certa, uma vez que as contas de 2009 foram aprovadas por 7 votos contra 2, ainda esse ano.
Na votação passada, somente os vereadores André e Gonzaga, votaram contra, enquanto os demais proferiram elogios  e acreditaram que as contas teriam sido reprovadas somente pelo atraso de documentação,  e ainda segundo os mesmos o prefeito estaria cumprindo com todos os compromissos por ser um homem honesto e trabalhador.
O GPEP- Grupo Popular pela Ética na Política estará na Câmara assistindo a votação, e convida a todos os moradores a participarem, pois é necessário estar atento aos atos dos vereadores que foram eleitos para exercer com dignidade o seu cargo, no entanto demonstram  dificuldade em cumprir o papel constitucional a eles atribuído que é o de fiscalizar e cobrar do executivo, que este, realize sua função como deveria.





Mais Recente
Próxima Notícia
Leia Também

2 comentários:

  1. com serteza eles vão aprovar,os bolsos dos vreadores ja deve estar cheio so pra aprovar essas contas

    ResponderExcluir
  2. Como não poderia deixar de ser, os Sete Vereadores que mamam nas tetas da Prefeitura aprovaram as contas. Segundo eles não interessa se roubou, desde que faça alguma coisa.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião.
Atenção: Comentários com palavras ofensivas ou críticas fora de propósito, ligados ou não ao tema,serão deletados. Ataques pessoais ou a marcas, difamações, racismo ou obscenidades não são permitidos.